• Prev
Itaipava/RJ - Aconteceu, nos dias 17 e 18 de Dezembro de 2018, no Centro de ...
Paracambi/RJ - Com a finalidade de capacitar Líderes para o trabalho no Reino de Deus, ...
Três Rios/RJ - A Igreja Assembleia de Deus de Cantagalo, realizou, nos dias 07 ...
Paraíba do Sul | Três Rios/RJ: No último domingo, 09 de dezembro de 2018, ...
Rede Vipgospel - todas logos

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP), afeta à UGT, anunciou esta quinta-feira que emitiu um pré-aviso de greve para dia 26, juntando-se à Frente Comum. A FESAP junta-se assim à paralisação, de âmbito nacional, agendada pela Frente Comum (CGTP) no final de setembro, na tentativa de pressionar o Governo a garantir aumentos salariais e a valorizar as carreiras na Função Pública em 2019.

Em conferência de imprensa, José Abraão, da FESAP, explicou que a expectativa nas negociações com o Governo se "mantém", apesar de ainda não terem previsão da próxima reunião.

Na proposta de Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), o Governo estima um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% no próximo ano, uma taxa de desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 118,5% do PIB.

No documento, o executivo mantém a estimativa de défice orçamental de 0,2% do PIB no próximo ano e de 0,7% do PIB este ano."

Contactada pela agência Lusa, a presidente do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), também afeto à UGT, Helena Rodrigues, confirmou que se juntará à FESAP e Frente Comum na greve geral de dia 26 de outubro para exigir aumentos salariais na Função Pública e perante a ausência de propostas por parte do Governo.

De acordo com José Abraão, os avanços feitos ao nível do descongelamento de carreiras são "insuficientes" e, por isso, a FESAP exige que este Governo "vá mais além" e "não deixando ninguém para trás".

"50 milhões de euros não produz aumento nenhum nos trabalhadores de Administração Pública", disse Abraão, depois de o ministro das Finanças, Mário Centeno, ter dito aquando da apresentação da proposta de OE2019 que o Governo estipula uma margem de apenas 50 milhões de euros em 2019 para aumentos de salários da Função Pública.

A FESAP diz que o descontentamento é grande em todos os sectores, os trabalhadores exigem compromissos por parte do Governo, e por isso a expectativa é a de uma grande adesão ao protesto que decorrerá na próxima semana.

Fonte: Expresso

Visitas no Site

0011825470
HojeHoje630
OntemOntem704
Esta SemanaEsta Semana570
Este MêsEste Mês16621
Todos os diasTodos os dias11825470

Siga-nos no Facebook

Usuários Online

Temos 234 visitantes e Nenhum membro online

Mais lidas

Estima-se que uma em ...
Os trabalhos para o ...
O governo da China ...
Nesta quinta-feira ...
O Centro de ...
O trabalho do Corpo de ...
O adolescente ...
O meia Adryan, ...
O Bangu divulgou nesta ...